ANTONIO CANDIDO DE MELLO E SOUZA

Río de Janeiro-Brasil, 1918


VII


Ao céu regresso.
Quero dizer
à terra anoitecida
pelo amor.
Extasio-me
com a terrestre vida dos astros.
Passeio
por uma estrada de estrelas.
Isto é
uma estrada de flores sublimadas
pela noite.
Vou visitar um estábulo
em pleno universo.
Zodíaco.
Jardim zoológico astral.
Lá estão as constelações
irradiando o seu frio.
Quero dizer
os animais pela memória
desterrados.
Regresso à noite.
Piso a escuridão.
Olho o céu
como se a terra visse.
As estrelas são flores.
As constelações são animais.
O céu é um jardim
com um estábulo no meio.
Comem flores os animais da terra.
Mastigam estrelas os do céu.
O céu também é um chão
mas um chão feito de memória.
Estão lá os mitos.
Isto é
homens elevados
pela luz e pela palavra.
Pisam-se lá em cima astros
como em baixo
se pisam pedras.
No céu passo por mitos
e por ideias.
Estão lá poemas.
Quero dizer
coisas metaforizadas
por esta outra noite do mundo
íntima e secreta
que são as palavras.

Traducción

Volver al cielo.
Quiero decir
A la tierra anochecida
por el amor.
Extásiome
con la vida terrestre de las estrellas.
Paseo por
un camino de estrellas.
a saber
una carretera de flores sublimadas
por la noche.
Voy a visitar a un establo
En pleno universo
Zodiac.
Jardín zoològico astral.
Hay constelaciones
irradiando su frío.
Quiero decir
animales por la memoria
desterrados.
Regreso por la tarde.
Piso lavoscuridad.
Ojo del cielo
como si la tierra se veía.
Las estrellas son las flores.
Las constelaciones son animales.
El cielo es un jardín
con un estables en el medio.
Comen floresr animales terrestres.
Mastican las estrellas del cielo.
El cielo es también un terreno
pero un suelo hecho de memoria.
¿Existen mitos.
a saber
hombres altos
por la luz y la palabra.
Intensificación de astros arriba
como por debajo
si peldaños.
En el paso por los mitos cielo
e ideas.
Hay poemas.
Quiero decir
cosas metaforizada
este mundo otra noche
íntimo y secreto
que son las palabras.

António Cândido Franco, Estâncias Reunidas 1977-2002, Edições Quasi: 2020, p.29-30, 148-149

No hay comentarios:

Publicar un comentario